Psicologia da Tecelagem

Spread the love

Informamos que não estamos aceitando mais candidatos para pesquisa neste momento. E não temos previsão de quando aceitaremos novos candidatos.

Agradecemos pela compreensão. 

Olá!

Tudo bem?

Depois de uma longa jornada de estudos e de desenvolvimento de uma nova abordagem psicológica no campo teórico, estou iniciando uma pesquisa que visa reconhecer a validade da Psicologia da Tecelagem. E estou convidando pessoas de distintos lugares, condições e situações de vidas diferentes para participarem desta pesquisa, para a análise deste novo instrumento terapêutico que é a Psicologia da Tecelagem.

O responsável e quem vai dirigir os encontros na modalidade on-line é o psicanalista Edson Carlos de Sena. Se você tem interesse em participar de um tratamento feito na abordagem da Psicologia da Tecelagem, então, entre em contato para saber os passos necessários para participar.

A terapia é inicialmente indicada para pessoas que passam por crises existenciais, afetivas, emocionais. Também indicada para pessoas com problemas de depressão, medos e para pessoas que passam por fases ou momentos difíceis da vida, isso entre outros casos que podem ser analisados para saber se estão ao alcance do público alvo desta abordagem.

O período de tratamento varia entre três a seis meses. As sessões ocorrerão nos horários noturnos de segunda a sábado e as vagas serão limitadas. Não há cobranças de taxas alguma, é totalmente gratuito. No resultado da pesquisa, somente sairão os nomes das pessoas que quiserem que seus nomes sejam divulgados, as outras que não quiserem sairão com nomes ou siglas fictícias.

Os pedidos de participação serão verificados, e se aprovados, as pessoas passarão por uma entrevista. A depender da análise da entrevista e o do parecer do analista, então, poderão ser definidos os horários das sessões.

Instrumentos necessários para os encontros on-line: internet, aparelho eletrônico de acesso à internet e o aplicativo Skype.

O e-mail para contato é: edsoncarlosson@gmail.com

Saiba um pouco sobre a Psicologia da Tecelagem:

PSICOLOGIA DA TECELAGEM (ou Psicologia Reconstrutiva)

A Psicologia da Tecelagem é uma nova abordagem no campo dos estudos psicológicos e das teorias psicológicas que entende o homem como um ser que está em constante estado de construção e de produção, pois o ser humano vive em uma dinâmica de contínuos movimentos interiores (psíquicos) e externos (físicos).

Para a Psicologia da Tecelagem, o homem é visto como produtor consciente e inconsciente de conteúdos psíquicos, pois ele produz esses conteúdos voluntariamente e involuntariamente. Visto por um outro prisma semelhante, o homem constrói e é construído, pois ele leva conteúdos de modo consciente e voluntário a sua vida psicológica, como também inconscientemente e involuntariamente conteúdos são lançados em sua vida psíquica ou são produzidos pela própria dinâmica independente psíquica, ou seja, pela dinâmica psíquica que não depende da vontade humana.

O termo Tecelagem (de Psicologia da Tecelagem) indica um processo, assim como a tecelagem é: a construção (ou produção) do tecido. O tecer é uma ação que propõe união e continuidade. A Psicologia da Tecelagem enxerga a vida humana como esse contínuo tecer.

A Psicologia da Tecelagem tem como instrumento principal de tratamento a palavra, ou seja, o texto falado ou em outras modalidades de expressões dos sujeitos, como expressões faciais e corporais.

O tratamento clínico com essa abordagem propõe análises e ajustes desse processo de tecelagem que vive o ser humano, ou seja, o processo de construção e produção psíquica.

Na Psicologia da Tecelagem, as produções de textos falados são entendidas como parte muito importante de tecelagem (de construção e de produção), por isso, todas as palavras ditas e suas entonações são muito importantes.

Na Psicologia da Tecelagem, as perguntas norteadoras que o terapeuta deve se fazer constantemente são: O que o indivíduo está dizendo? e/ou O que o indivíduo está querendo dizer? Perguntas diretas e indiretas podem serem feitas para descobrir a resposta dessas perguntas norteadoras. O objetivo dessa investigação através das perguntas norteadoras é descobrir os pontos de estagnação na vida dos sujeitos, pontos esses que estão no campo emocional e afetivo. Mais à frente, falaremos sobre as perguntas mestras, estas são perguntas usadas nas novas situações que vão surgindo.

A Psicologia da Tecelagem entende o homem como um ser que está em constante estado de mudanças, mesmo que suas atitudes pareçam serem as mesmas. Mas pode existir pontos, espaços na vida psíquica, que necessitam serem trabalhadas, pois encontram-se em estado de estagnação, como apontava Sigmund Freud nos pontos de fixação do desenvolvimento psicossexual, porém para a Psicologia da Tecelagem esses pontos de estagnação podem ocorrer em todas as fases da vida, desde o útero materno até o último instante de vida. Esses pontos de estagnação são sinalizados com os sintomas aparentes e os não aparentes, estes últimos são identificados pela fala do sujeito, ou seja, os textos falados.

A Psicologia da Tecelagem trabalha com um olhar atento as subjetividades dos sujeitos, as entre linhas do texto, mas trabalha também com a objetividade, dando a esta um grande valor, pois tudo é construção e produção.

No campo investigativo da Psicologia da Tecelagem, o modo como o sujeito se vê no passado é de muita importância, mas o modo como o sujeito se vê no presente é ainda mais importante, pois é o olhar do sujeito do presente que poderá transformar (ressignificar) o sujeito do passado. A projeção do olhar para o futuro também é muito importante, pois diz muito sobre quem é o sujeito do presente.

As perguntas: Quem é você? Quem foi você? E Quem será você? São as perguntas mestras. Diante cada nova situação, sendo que cada encontro entre terapeuta e paciente é uma nova situação, o sujeito é convidado a responder essas perguntas. O objetivo é equilibrar o seu eu interior, humanizando o sujeito. Quanto mais humano for o eu interior do indivíduo, mais ele será equilibrado psiquicamente falando.

Todos os direitos autorais reservados ao autor: Edson Carlos de Sena – psicanalista